Queda no óleo impacta preço do grão. Veja as cotações da soja

As quedas em Chicago e no dólar trouxeram calmaria ao mercado brasileiro de soja nesta terça-feira (14).

Queda no óleo impacta preço do grão. Veja as cotações da soja

As quedas em Chicago e no dólar trouxeram calmaria ao mercado brasileiro de soja nesta terça-feira (14). Os preços internos ficaram de estáveis a mais baixos e a oferta pelos produtores foi menor.

Segundo a Safras Consultoria, o vendedor espera por preços melhores para voltar ao mercado.

Preços da soja no dia

  • Passo Fundo (RS): caiu de R$ 125,50 para R$ 125
  • Região das Missões: baixou de R$ 124,50 para R$ 124
  • Porto de Rio Grande: diminuiu de R$ 135,50 para R$ 135
  • Cascavel (PR): desvalorizou de R$ 130 para R$ 127
  • Porto de Paranaguá (PR): decresceu de R$ 136 para R$ 134
  • Rondonópolis (MT): estabilizou em R$ 121
  • Dourados (MS): não variou: R$ 119,50
  • Rio Verde (GO): foi de R$ 120 para R$ 119

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira com preços em leve baixa. No entanto, o óleo caiu forte porque ficou de fora do pacote tarifário da Administração Biden sobre os produtos chineses, o que ajudou a pressionar as cotações.

A administração norte-americana anunciou aumentos tarifários em uma série de produtos do país asiático. A lista não incluiu o óleo de cozinha usado, ao contrário dos rumores que anteriormente impulsionaram os futuros da soja.

O avanço do plantio nos Estados Unidos sem maiores sobressaltos e ainda o impacto dos dados baixistas do relatório de sexta do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) seguiram adicionando pressão.

O mercado segue acompanhando de perto os prejuízos à safra gaúcha por conta das inundações.

Contratos futuros da soja

soja mercado dinheiro Chicago
Foto: Envato

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com baixa de 5,00 centavos de dólar, ou 0,41%, a US$ 12,14 1/2 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 12,18 1/4 por bushel, com perda de 5,25 centavos ou 0,42%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo fechou com alta de US$ 6,80 ou 1,85% a US$ 373,30 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 43,40 centavos de dólar, com baixa de 1,75 centavo ou 3,87%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,41%, sendo negociado a R$ 5,1302 para venda e a R$ 5,1281 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,1245 e a máxima de R$ 5,1610.